‘Tenho grandes sonhos para MS’, afirma Nelsinho

Candidato lembrou que deixou prefeitura da Capital com projeto pronto de Veículo Leve sobre Pneus, que seria mais extenso que o do Rio de Janeiro

“Quando concluí o meu segundo mandato na prefeitura da Capital, eu deixei pronto junto ao Ministério das Cidades o projeto de 96 km do VLP (Veículo Leve sobre Pneus), mas administrações que me sucederam não executaram este projeto tão importante de mobilidade urbana da Capital”, lembrou Nelsinho. “A cidade do Rio de Janeiro, com as Olimpíadas, conseguiu implementar apenas 80 km do sistema. Imagine a Capital de Mato Grosso do Sul, que já poderia ter 96km!”, lamentou o candidato ao Senado. O projeto foi lembrado por Nelsinho durante reunião realizada nesta quarta-feira (5), no Jardim Nashville, região Sul de Campo Grande. “Mesmo assim, com todos esses entraves, eu tenho grandes sonhos para Campo Grande e para todos os municípios de Mato Grosso do Sul”, afirmou esperançoso.

Nelsinho explicou que, como senador, espera ajudar os municípios do estado a viverem novos tempos de desenvolvimento, ainda citando como exemplo a Capital: “Hoje, o prefeito Marquinhos Trad (PSD), não deveria estar sendo obrigado a se preocupar em como arrumar recursos para tapar buracos na Capital. Antes da administração dele, deveriam ter dado condições para que o prefeito estivesse planejando agora a ampliação do sistema de VLP, dos quase 100 km de extensão para muito mais, se o VLP tivesse sido construído pelas administrações que me sucederam”, ponderou o ex-prefeito de Campo Grande por dois mandatos.

Gabinete sem porta
“Mas, às vezes, nós precisamos passar por essas dificuldades para encontrarmos forças para dar saltos muito maiores. Eu quero ser senador dos municípios de Mato Grosso do Sul, para ajudar ao prefeito Marquinhos Trad – que já está retomando o projeto do VLP -, a promover esta e muitas outras realizações. E para igualmente poder ajudar a todos os prefeitos do nosso estado neste mesmo sentido de desenvolvimento”, planejou.

Nelsinho comparou a atuação de um senador à função de uma ponte: “É como ligar dois lados de um rio. As administrações municipais aos recursos do governo federal”, explicou. “Quando eu fui prefeito de Campo Grande, batia na porta dos gabinetes dos senadores de Mato Grosso do Sul para pedir ajuda para obter recursos para as obras que eu precisava realizar na Capital”, lembrou.

“Quero fazer um compromisso com o prefeito Marquinhos Trad  (e com todos os prefeitos de Mato Grosso do Sul): se Deus permitir que eu chegue ao Senado, a primeira coisa que eu pretendo fazer é mandar retirar a porta do meu gabinete, para que os prefeitos não precisem nem bater na porta para falar comigo”, declarou.

Dois votos para o Senado
Ao final do discurso o candidato destacou que no dia 7 de outubro serão eleitos dois senadores: “Eu peço ainda, a todos vocês, votos para um homem que também é profundamente comprometido em levar obras para todos os municípios de Mato Grosso do Sul: o ex-secretário de Infraestrutura do governo Reinaldo Azambuja (PSDB), Marcelo Miglioli”.

Nelsinho ressaltou as virtudes dos parceiros de coligação: “Campo Grande e Mato Grosso do Sul vão ganhar muito com a reeleição do Reinaldo Azambuja, que manteve Mato Grosso do Sul em pé em meio a mais grave crise que o Brasil já enfrentou. E com a eleição do Marcelo Miglioli para o Senado. Eu quero trabalhar em conjunto com ele, para garantir recursos para que Mato Grosso do Sul seja um estado ainda mais próspero e maravilhoso para se viver”.

Nelsinho finalizou deixando um lembrete: “Meus amigos! Por mais que vocês gostem de um candidato e queiram que ele seja eleito para o Senado, vocês não podem votar nele duas vezes. Isso anularia o voto! Então, peço os seus votos de confiança, para o Reinaldo, para o Miglioli e para o Nelsinho, para que nós continuemos avançando com responsabilidade”, concluiu.

2018-09-07T13:45:32+00:00